domingo, 13 de janeiro de 2013

Minha Dor com a EM

Quando sentimos dor, nos isolamos, nos excluímos, nos tornamos amargos e sem brilho... Sinto dores diversas quase todos os dias, muito desânimo e indisposição. Tenho certeza que as pessoas não compreendem, nem as pessoas de fora, nem minha família, deve ser muito difícil mesmo, a pessoa não tem nenhum sintoma visível e não consegue, muitas vezes, fazer o que todo mundo faz. Não é lógico, não tem explicação nem sentido... São dores, chatas, irritantes que minam as nossas forças, o nosso humor e a nossa paciência... Gostaria de um dia não senti-las mais... Uma tristeza toma conta da gente e nos transforma em pessoas rabugentas, chatas, mal-humoradas!!! Eu tento lutar ao máximo contra essas coisas, mas muitas vezes fica bem complicado manter a alegria e a responsabilidade das tarefas a cumprir no dia a dia! Me sinto cada dia mais derrotada, menos forte pra lutar, mais abatida. Tenho o apoio dos meus familiares, não digo um apoio incondicional, devido a dificuldade para compreender a dor do outro que todos nós temos, mas esse suporte me ajuda a não entregar os pontos. Tenho que me levantar e arrumar minha casa, o sol já abaixou e tenho pouco tempo antes de escurecer, detalhe: é a única hora que consigo fazer minhas atividades por causa do calor e da fadiga que esgota além da conta... A minha coluna dói, e meus braços estão fracos, mas vou fazer o meu melhor, espero que seja suficiente... Ainda estou de pé! Carla Gontijo

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

ESCLEROSE MÚLTIPLA E O CALOR

Texto escrito e enviado por email pelo neurologista da UNICAMP Dr. Leonardo de Deus Silva sobre o calor e a esclerose múltipla visando preparar portadores para o verão. No verão as pessoas passam a maior parte do tempo sob o calor do sol equatoriano e assim exerce sua liberdade plena, portanto nos pacientes de EM isso causa um certo temor. Como já foi comprovado o calor exacerba os sintomas da Esclerose Múltipla. Vamos recordar a história da banheira de água quente para diagnosticar a doença... Esse fenômeno de apresentar os sintomas em função do calor é conhecido como fenômeno de Uhthoff, o mecanismo fisiológico que envolve essa manifestação ainda é pouco entendida, mas acredita-se que como acontece em pessoas que não tem Esclerose Múltipla, quando o corpo atinge uma temperatura mais alta as fibras nervosas mielinizadas tendem a ter uma transmissão mais rápida. Quando a temperatura corporal aumenta nos pacientes com Esclerose Múltipla essa transmissão nervosa que passa pelas fibras desmielinizadas tendem a ficar mais lenta em relação aos outros, o que faz levar aos sintomas. O importante é que essa piora de sensações não quer dizer necessariamente que seja uma piora da doença e sim “seqüelas” de áreas lesadas. Portanto esse desconforto tende a melhorar com a redução da temperatura corporal e não significam surtos. Quando se fala em aumento da temperatura, estamos querendo dizer que não precisa ser apenas a temperatura externa como o calor que faz lá fora, que nos deixa assim, mas vale lembrar também do aumento dessa temperatura provocada por alguns fatores como a febre, a intensa atividade física, piscinas aquecidas e até a utilização de alguns dos medicamentos para a o controle da EM, como é o caso de alguns interferons que aumenta a temperatura do paciente logo após a injeção. Isso no caso do medicamento, tende a melhorar com o tempo e com a tolerância da pessoa ao remédio. O recomendado para enfrentar o calor é que as pessoas evitem exercícios que causem muito cansaço, banhos quentes e exposição prolongada ao sol, evitando principalmente os horários de 11 às 15h. Sempre dar preferência a lugares climatizados com ar- condicionado, climatizadores ou umidificadores. Tomar muito líquido, principalmente água e também se render a cubinhos de gelo para aliviar o calorão e refrescar um pouco. Se caso o calor provocar maior cansaço e forte fadiga, o ideal é o paciente conversar com o seu médico e caso o mesmo ache necessário, pode indicar uma medicamento coadjuvante desses sintomas. O sol é benéfico ao metabolismo para fixação do cálcio e da Vitamina D, porém é necessário alguns cuidados como evitar os horários de sol forte, usar boné ou chapéu, usar óculos de sol, usar protetor solar e mantendo boa hidratação e uma alimentação equilibrada incluindo verduras e frutas, com esses pequenos cuidados fica muito mais tranqüilo curtir o verão. Em Tempo: Dr. Leonardo de Deus Silva é Médico Neurologista pela UNICAMP, Membro Titular da Academia Brasileira de Neurologia, Mestre e Doutorando em neurologia na UNICAMP, Fellow em Neuroradiologia pela Universidade de Ottawa, Canadá. Fonte: http://fabianadalri.blogspot.com/

Perigos das vitaminas e minerais em excesso

Posted by Esclerose Múltipla Nenhum medicamento deve ser tomado sem orientação médica, nem mesmo vitaminas ou minerais. Excesso de Vitamina A O excesso de vitamina A pode ser tóxico, quando é tomada em única dose (intoxicação aguda) ou durante um período prolongado (intoxicação crônica). Alguns exploradores da região ártica apresentaram sonolência, irritabilidade, cefaléia e vômito poucas horas após terem consumido fígado de urso polar ou de foca, ambos ricos em vitamina A. Os comprimidos que contêm 2 vezes a QDR de vitamina A, vendidos com o objetivo de prevenir e tratar determinadas doenças cutâneas, têm causado ocasionalmente sintomas semelhantes, mesmo quando tomados conforme a prescrição médica. Nas crianças maiores e nos adultos, a intoxicação crônica ocorre normalmente em decorrência do consumo de grandes doses (10 vezes a QRD) durante meses. Nos lactentes, a intoxicação pode ocorrer em poucas semanas. Os sintomas iniciais da intoxicação crônica são o cabelo escasso e áspero, a queda parcial das sobrancelhas, as rachaduras labiais e a pele seca e áspera. As cefaléias intensas, a hipertensão intracraniana e a fraqueza generalizada são manifestações tardias. As excrescências ósseas e as dores articulares são comuns, sobretudo em crianças. O fígado e baço podem aumentar de tamanho. Quando uma mulher toma isotretinoína (um derivado da vitamina A utilizado no tratamento de problemas cutâneos) durante a gestação, o seu filho pode apresentar malformações congênitas. O diagnóstico de intoxicação pela vitamina A é baseado nos sintomas e na concentração anormalmente alta de vitamina A no sangue. Os sintomas desaparecem 4 semanas após a interrupção do uso do suplemento de vitamina A. O beta-caroteno, encontrado em vegetais (p.ex., cenouras), é convertido lentamente em vitamina A no organismo e pode ser consumido em grandes quantidades sem causar intoxicação. O único efeito secundário observado é o surgimento de um tom amarelo-escuro (carotenose), nas palmas das mãos e nas plantas dos pés. Excesso de Vitamina D O consumo de uma dose 10 vezes maior do que a QDR de vitamina D durante vários meses pode causar intoxicação, acarretando um aumento da concentração de cálcio no sangue. Os sintomas iniciais da intoxicação pela vitamina D são a inapetência, a náusea e o vômito, os quais são acompanhados pela sede excessiva, aumento da micção, fraqueza, nervosismo e hipertensão arterial. O cálcio pode depositar-se por todo o corpo, sobretudo nos rins, onde ele pode causar uma lesão permanente. A função renal torna-se deficiente, acarretando a passagem de proteínas para a urina. Também ocorre um aumento da concentração de uréia (um produto da degradação metabólica) no sangue. O tratamento consiste na interrupção do uso do suplemento de vitamina D e na instituição de uma dieta pobre em cálcio, visando reduzir os efeitos da concentração elevada de cálcio no organismo. O médico pode prescrever corticosteróides, para reduzir o risco de lesão tissular, e cloreto de amônio, para manter a urina ácida, reduzindo o risco de formação de cálculos de cálcio. Excesso de Vitamina E As doses elevadas de vitamina E, que podem ser administradas aos recém-nascidos prematuros para reduzir o risco de retinopatia, não parecem produzir qualquer efeito adverso significativo. Nos adultos, as doses elevadas produzem pouquíssimos efeitos adversos apreciáveis, exceto o aumento das necessidades de vitamina K, o qual pode causar hemorragia nos indivíduos que fazem uso de medicamentos anticoagulantes. Excesso de Niacina A niacina (mas não a niacinamida) em doses superiores a 200 vezes a QDR é prescrita para controlar a concentração alta de gorduras (lipídeos) no sangue. Essas doses podem causar rubor intenso, prurido, lesão hepática, distúrbios cutâneos, gota, úlceras e redução da tolerância à glicose. Excesso de Vitamina B6 A administração de doses elevadas de vitamina B6 (500 a 3.000 vezes a QDR) prescritas para o tratamento da síndrome do túnel do carpo ou da tensão pré-menstrual podem lesar gravemente os nervos, destruindo parte da medula espinhal, o que torna difícil a deambulação. A recuperação dessa condição é lenta e alguma dificuldade de deambulação pode persistir de modo permanente após a interrupção do uso de suplementos de vitamina B6. Excesso de Ácido Fólico Em determinadas condições, o ácido fólico pode ser tóxico. Em doses de 100 vezes a QDR, ele pode aumentar a freqüência de crises convulsivas em indivíduos epilépticos e pode piorar a lesão neurológica nos indivíduos com deficiência de vitamina B12. Excesso de Vitamina C As doses elevadas de vitamina C (500 a 10.000 miligramas) têm sido recomendadas por alguns para prevenir o resfriado comum, a esquizofrenia, o câncer, a hipercolesterolemia e a aterosclerose. No entanto, essas recomendações têm pouca ou nenhuma base científica. As doses superiores a 1.000 miligramas por dia causam diarréia, litíase renal (nos indivíduos susceptíveis) e alterações do ciclo menstrual. Alguns indivíduos que interrompem abruptamente o consumo de doses altas apresentam o escorbuto de rebote. Excesso de Ferro O excesso de ferro é tóxico e provoca vômito, diarréia e lesão intestinal. O ferro pode acumular- se no corpo quando um indivíduo é tratado com quantidades excessivas ou por um tempo demasiadamente longo, quando ele recebe várias transfusões de sangue ou no alcoolismo crônico. A hemocromatose (doença causada pelo excesso de ferro) é um distúrbio hereditário potencialmente fatal, mas facilmente tratado, no qual uma quantidade excessiva de ferro é absorvida, afeta mais de um milhão de americanos. Normalmente, os sintomas manifestam-se quando o indivíduo atinge a meia-idade. A sua evolução é insidiosa. A pele apresenta uma coloração bronzeada. O indivíduo apresenta cirrose, câncer de fígado, diabetes e insuficiência cardíaca e morre prematuramente. Os sintomas podem incluir a artrite, a impotência, a infertilidade, hipotireoidismo e a fadiga crônica. Os exames de sangue podem revelar se o indivíduo apresenta excesso de ferro. Todos os familiares de um indivíduo afetado devem ser submetidos a uma investigação. O tratamento de escolha é a sangria terapêutica. O diagnóstico e o tratamento precoces permitem uma vida longa e saudável. Excesso de Zinco As grandes quantidades de zinco, geralmente adquiridas através do consumo de alimentos ácidos ou de bebidas acondicionadas em latas com revestimento de zinco (galvanizadas), podem produzir um sabor metálico, vômitos e problemas gástricos. A ingestão de 1 grama ou mais pode ser fatal. Excesso de Cobre O cobre que não está ligado a uma proteína é tóxico. O consumo de quantidades relativamente pequenas de cobre livre pode provocar náusea e vômito. Os alimentos ácidos ou as bebidas que se encontram em contato prolongado com recipientes, tubulações ou válvulas de cobre podem estar contaminados com pequenas quantidades deste metal. Quando quantidades de sais de cobre, os quais não estão ligados a uma proteína, são ingeridos de forma inadvertida ou quando compressas saturadas com uma solução de um sal de cobre são utilizadas para tratar grandes áreas de pele queimada, pode ocorrer a absorção de uma quantidade de cobre suficiente para lesar os rins, inibir a produção de urina e causar anemia em decorrência da hemólise (ruptura dos eritrócitos). A doença de Wilson é um distúrbio hereditário no qual ocorre um acúmulo de cobre nos tecidos, acarretando uma lesão extensa. A doença de Wilson afeta 1 em cada 30.000 indivíduos. Nesse distúrbio, o fígado não secreta o cobre para o interior do sangue e nem o excreta para o interior da bile. Conseqüentemente, a concentração de cobre no sangue é baixa, mas ocorre um acúmulo do mesmo no cérebro, nos olhos e no fígado, causando a cirrose. Na córnea, o acúmulo de cobre produz um halo dourado ou verde-dourado. Normalmente, os sintomas iniciais são decorrentes da lesão cerebral e incluem os tremores, as cefaléias, a incapacidade para falar, a falta de coordenação e inclusive a psicose. A intoxicação pelo cobre é tratada com a penicilamina, a qual se liga ao metal e promove a sua excreção, sendo um exemplo da terapia de quelação. Para preservar a vida, o tratamento deve ser mantido indefinidamente. Excesso de Manganês A intoxicação pelo manganês é comum apenas entre os indivíduos que trabalham em minas e com o refinamento deste mineral. A exposição prolongada produz lesões nervosas, com sintomas que se assemelham ao parkinsonismo (tremores e dificuldade nos movimentos). Excesso de Molibdênio Os indivíduos que consomem grandes quantidades de molibdênio podem apresentar sintomas semelhantes aos da gota: incluindo uma concentração alta de ácido úrico no sangue e dores articulares. Os mineiros expostos à poeira de molibdênio podem apresentar sintomas inespecíficos. Excesso de Selênio O excesso de selênio pode produzir efeitos deletérios, os quais podem ser decorrentes do uso de suplementos sem prescrição médica em doses de 5 a 50 miligramas por dia. Os sintomas são a náusea, o vômito, a queda de cabelo e unhas, uma erupção cutânea e lesões nervosas. Excesso de Iodo A intoxicação pelo iodo é causada pelo consumo diário de quantidades muito grandes de iodo (400 vezes a QDR), algumas vezes como conseqüência do fato de viver próximo ao mar. O excesso de iodo pode produzir o bócio e, algumas vezes, o hipertireoidismo. Excesso de Fluoreto Os habitantes de regiões onde a água potável é muito rica em flúor podem absorver quantidades excessivamente altas deste elemento, uma condição denominada fluorose. O fluoreto acumulase nos dentes (sobretudo nos permanentes) e nos ossos. Manchas irregulares de cor branco-giz formam- se na superfície do esmalte dentário, podendo tornar-se amarelas ou castanhas e fazendo com que o esmalte pareça moteado. Fonte: Manual Merck http://esclerosemultipla.wordpress.com/

domingo, 30 de dezembro de 2012

O que a EM tirou de mim

A doença tirou de mim, a possibilidade de aproveitar o carinho físico das pessoas, de deitar juntinho e curtir ver TV ou qualquer outra coisa... Tem épocas que eu sinto uma hipersensibilidade nas pernas e braços, então fica muito difícil o toque, a sensação que eu tenho é péssima, quase dor. As pessoas não entendem e nem poderiam, isso é uma coisa muito complicada de se explicar, é a mesma coisa que querer explicar que gosto tem uma determinada coisa para alguém, você pode tentar explicar, mas seria impossível ao outro saber exatamente o gosto que você sente. Ela tirou de mim também o ânimo para muitas coisas, para atividades físicas em geral. Para tomar sol, para arrumar minha casa (eu adorava), para andar atoa no shopping, para brincar de pega pega... e tantas outras coisas. Ela está tirando de mim aos poucos a paciência e habilidade de raciocinar algumas coisas. Algumas coisas estão ficando complicadas demais pra mim. Então me afasto, me calo e passo muitas vezes por rabugenta ou idiota. Sinto como se eu estivesse perdendo o bonde, ainda corro atrás dele,mas fico pensando, até quando conseguirei? Tem horas que fica difícil manter uma conversação, tenho que fazer uma força danada pra não perder o que foi dito e continuar o assunto sem me perder totalmente da conversa... Me esqueço de compromissos e de coisas que falo que vou fazer depois, mas só consigo me lembrar se colocar um alarme ou coisa parecida. Me esqueço onde guardei determinadas coisas... O calor tira todo o restinho das minhas forças, preciso fazer reservas de energia para aguentar chegar ao fim do dia, vou administrando essa reserva. Infelizmente tem dias que eu durmo o dia todo, não consigo abrir o olho, fico ali morgando, isso é muito ruim! A EM tirou também de mim, minha forma física com tratamentos tão agressivos e com tantos efeitos colaterais e tóxicos! Fico imaginando se algum dia me verei livre de toda essa química que age em mim. As vezes, gostaria de jogar tudo pra cima e parar meu tratamento, mas ao mesmo tempo tenho medo de sequelas que podem me tirar totalmente de cena ou do meu "pseudoequilibrio" sinto meu sistema linfático sobrecarregado, como se fosse necessário expelir cada gota das toxinas que estão presas em meu organismo. Aguardo o dia que isso vai acabar, com paciência e compreendendo que as coisas não acontecem por acaso nem sem necessidade! Coloco a mim e a essa doença nas mãos de Deus e confio no seu amor. Carla Gontijo 25.12.12

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Mentiras repetidas

 

Certa vez um guru indiano disse que “uma mentira quando repetida 100 vezes começa a ter status de verdade” e ninguém mais contesta, nós aceitamos aquela mentira como se fosse a mais pura verdade.

Quantas das nossas verdades de hoje não são mentiras repetidas, que nós escolhemos acreditar, pagando um preço altíssimo, com nossa falta de coerência e muitas vezes com nossa própria essência, nos perdemos no caminho e caímos no canto inebriante das ilusões do mundo, repetindo mais mentiras e acreditando cada vez mais nessas verdades fabricadas e criando cada vez mais ilusões para quem está junto conosco.

Vivemos num mundo onde queremos ser aceitos e aprovados por tudo e qualquer coisa que fazemos ou falamos, não há mais nenhuma barreira, perdemos a noção do ridículo e da necessidade das nossas opiniões sobre qualquer coisa…

Sempre achamos que nossas opiniões devem ser ouvidas e julgadas por todos, nossas vidas não são mais nossas, vivemos na busca incessante da aprovação unânime.

É impossível agradar a todos o tempo todo sem que nossos ideais sejam mutilados ou amordaçados.

Temos que nos libertar dessas mentiras por mais sedutoras que nos pareçam no momento, deixando que nosso espírito tome novamente o rumo correto e consigamos focar no que realmente importa para nós, enquanto seres eternos.

Muita paz a todos!!!

Carla Gontijo

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Quem está vivo sempre aparece!!!

Nossa, tem uma data que nem apareço por aqui... Preguiça? Falta do que falar? Comodismo? Nem eu mesma sei... "Tenho andado distraído, impaciente e indeciso...¨ Estou mais segura de mim mesma, não me preocupo tanto em dar satisfações dos meus atos para os outros, me preocupo mais com o que eu vou achar de mim mesma! ¨Só que agora é diferente, sou tão tranquilo e tão contente..."  Ainda esclerosada, tem um bando de gente que pensa que só porque o tempo passa as coisas somem; algumas realmente, se não somem, perdem bem o significado, mas coisas que precisam ficar, persistem e o legal é que a gente também persiste e se fortalece a cada dia!
Observamos as atitudes da humanidade sem nos esquecermos que estamos aqui também, no meio, no olho do furacão, e talvez seja o melhor lugar pra se ver realmente como tudo deve ser e é! Só assim nos conhecemos de verdade em nossa essência, não é verdade?
Às vezes digo coisas sem sentido, mas lá no fundo eu sei do que se trata, se você que está lendo não tem idéia, não se preocupe, talvez não seja importante pra todos nós.
Tem vezes que me canso de onde estou morando, aí alguma coisa move uma energia cósmica, sei lá... dizem que o universo conspira ao nosso favor, e isso se mostrou real em muitas ocasiões na minha vida, tomara que agora seja um desses momentos... Gostaria de morar numa casa com um jardim... olha a minha pequenez! Tanta gente querendo um teto e eu com meus caprichos de jardim, casa, e etc... Mas eu tento não me sentir tão mal pois não quero que as coisas aconteçam somente na minha vida, oro por uma melhoria geral, que todos nós nos melhoremos, nos olhemos e analisando nossas vidas nos sintamos realmente merecedores de todas as bençãos que recebemos todos os dias! Muita paz na vida e corações de todos nós!

sexta-feira, 15 de julho de 2011

GARGANTA AFIADA: 15/07 - Dia Internacional do Homem!

GARGANTA AFIADA: 15/07 - Dia Internacional do Homem!: "Quem é obrigado a erguer os pés quando ela está fazendo a faxina? O prestativo homem! Quem se veste como pingüim no dia do casamento? O hum..."

Só faltava isso!!! kkkkkkkkkkkkk